© Mario Bastos - Desenvolvido por Infoqplan Assessoria Digital

Avenida Rudolf Dafferner, 400 - Praça Maior - Boa Vista - Sorocaba/SP

Apegar-se por quê?

20/07/2015

Na vida, por vários e vários motivos, vamos acumulando uma série de coisas, vivencias, experiências e acabamos ficando marcados positiva ou negativamente por elas.

            Por exemplo, quando passamos uma situação onde nos falta alimento para comermos, muitos de nós já nos precavemos e sempre deixamos o maior volume de alimentos em nossas dispensas, para que nunca mais nos falte, aquilo que um dia nos faltou e sentimos necessidade.

            Precisamos apenas dosar essa carência que possuímos, ou que nos persegue, como uma obsessão, pois se dermos muito valor a essa situação poderemos nos tornar escravos daquela situação.

            O filosofo Mario Sergio Cortella, proferiu a seguinte frase sobre o apego: “Você pode ter o que quiser, o problema é aquilo que você tem, lhe possuir.”, isso me fez pensar e muito nessa frase ao ponto de eu desenvolver esse texto.

            Comecei a pensar, quando era adolescente, de repente adorava uma jaqueta, que era tamanho “M” e hoje décadas passadas para que ter ou até mesmo guardar tal jaqueta? Isso se torna desnecessário, pois me pergunto: por que guardar tal jaqueta? Nunca mais irei usá-la, se tiver um filho, será que ele irá gostar de usá-la? Outra época, nova moda, novo estilo de roupas, enfim, nos apegamos a coisas e pessoas e se torna totalmente desnecessário esse tipo de sentimento.

            O apego pesa, dá trabalho, pesa em sua vida, pode até lhe trazer boas lembranças, mas também carrega uma energia de passado, que de uma maneira ou outra de prende a um passado que já passou.

            Pessoas que vivem de apego estão sempre preocupadas, estressadas cuidando da vida dos seus e conferindo periodicamente seus pertences e bens, como estão, em que estado se encontram, enfim, vivem “olhando” para o passado e não tem nem tempo nem foco para enxergar e projetar seu futuro.

            Seria interessante se desapegar de tudo e de todos e cuidar do seu maior e verdadeiro patrimônio, você mesmo, sua saúde, sua própria vida, emocional, psíquica, física, pessoal e profissional. Assim, sua vida seria mais leve e interessante, teria mais “sabor e cor” e você se tornaria mais feliz e inteiro consigo mesmo.

            Nada como desapegar e viver cada dia, pois nenhum dia é igual ao outro, e para cada dia você poderá construir uma nova parte da sua história, assim um dia terá situações para contar para seus filhos e netos, e será um exemplo para eles.

“Se apegar é esquecer-se da sua própria existência”.

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Linkedin
Please reload

Destaques
Posts Em Destaque

TELA AZUL

15/11/2019

1/6
Please reload

Artigos Recentes

15/11/2019

19/10/2019

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Twitter Basic Square