© Mario Bastos - Desenvolvido por Infoqplan Assessoria Digital

Avenida Rudolf Dafferner, 400 - Praça Maior - Boa Vista - Sorocaba/SP

Quem sou eu?

19/03/2015

Podemos começar esse texto, afirmando “que eu sou eu?”, alguns pensariam, mas é obvio que você é você, eu sou eu, ele é ele, aí lhe pergunto: “Tens certeza?”.
Numa determinada situação, eu perguntei isso a uma pessoa, e ela imediatamente mediante a minha questão, me respondeu que “ela era ela” e perguntou se eu estava bem, por esse tipo de questionamento.
Eu sorri, agradeci pela resposta que ela tinha me dado, me retirei daquele lugar, mas não me convenci da resposta, pois ela foi automática e imediata, nem parou para pensar em me responder.
Agora eu me questiono: será que somos verdadeiros em todos os momentos de nossas vidas? Mas não para os outros, para conosco mesmos, com a nossa essência, com o nosso verdadeiro “eu”.
No nosso dia a dia, com a convivência com nossos parceiros, situações e situações que vivemos, começamos a criar vários personagens, várias facetas, para podermos sobreviver nessa “selva de pedra”.
E agindo assim, nos distanciamos da nossa essência, a ponto de perdermos nossa identidade, diante de tudo e de todos e quando nos damos por conta, estamos perdidos dentro de nós, sem saber o porquê fazemos e realizamos certas coisas, atitudes, palavras, pois passamos a ser o que os outros esperam de nós e não efetivamente o que deveríamos e queríamos ser e fazer.
Nós nos transformamos em zumbis, marionetes e quando nos damos conta, estamos sem identidade, sem rumo, sem saber que caminho trilhar. A sociedade é um sistema para se conviver, viver, mas precisamos tomar cuidado, ao confundir, referencia com manipulação.
Acredite, não deixe de fazer suas coisas, porque alguém falou que você não deveria fazer, pois se fosse ela faria de outra maneira, enfim, todos nós passamos por várias situações dessas por dia, mas precisamos “filtrar”, pensar e repensar, se aquela “receita de bolo”, é interessante para nós e nossa vida.
Ampliar conhecimento e contato com outras pessoas, só se forem pessoas que venham acrescentar em sua vida, trazer coisas boas, crescimento pessoal e profissional e não pessoas que venham sugar suas energias vitais, ao ponto de você se sentir fraco e impotente.
Saiba então que sua vida está ai para ser vivida, da melhor maneira possível e para que você encontre pessoas que juntamente com você, cresçam pessoal e espiritualmente.

“Eu sou quem eu quiser ser, independente dos outros.”
MARIO BASTOS

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Linkedin
Please reload

Destaques
Posts Em Destaque

TELA AZUL

15/11/2019

1/6
Please reload

Artigos Recentes

15/11/2019

19/10/2019

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Twitter Basic Square