© Mario Bastos - Desenvolvido por Infoqplan Assessoria Digital

Avenida Rudolf Dafferner, 400 - Praça Maior - Boa Vista - Sorocaba/SP

Que friozinho!

19/03/2015

Acordando hoje, olhei pela janela e vi um céu cinza, um vento forte, típico dia de inverno, senti aquele vento tocar meu corpo e rapidamente ele começou a esfriar, observando todo esse momento, comecei a pensar em algumas pessoas que não tem essa maravilhosa oportunidade de sentir todas essas sensações.
Após me arrumar para enfrentar esse dia, comecei a pensar nas pessoas que não sentem todas essas sensações, praguejam que o tempo está “horrível”, que se pudessem até mudariam para outra cidade só para não enfrentar esse tempo cinza e com “cara” de frio e chuva.
Agora aproveitando esses pensamentos de alguns, vamos pensar juntos, e quem mora em Londres, que quase todos os dias do ano são com essas características? Será que conseguimos efetivamente abrir mão, ou até mesmo “fugir” de situações que não nos convém ou não nos agradam?
O que seria de nossas vidas? Viveríamos com uma mochila nas costas, pois não teríamos moradia fixa, emprego e nada que nos pudesse “ancorar”, nem que fosse por certo tempo, num lugar. Andaríamos para lá e para cá buscando a tão falada paz e sossego.
E por que isso não acontece? Porque como diz o velho ditado que uma vez ouvi de uma amiga baiana: “Não é bem assim que a banda toca”, pois quando pensamos apenas em nós, torna-se relativamente fácil resolver os problemas e situações que nos incomodam, mas a partir do momento que olhamos ao nosso redor, começamos a observar que existem outros seres, os quais fazem parte da chamada sociedade, tribos, enfim, como cada um queira chamar, que às vezes não conseguem.
Vivemos em rede, conectados como se de repente jogássemos uma pedra num lago, imaginem, começam a fazer aquelas “ondinhas” e vão alastrando, ampliando seu alcance, e chegando e tocando outros e outros, enfim a maioria das suas atitudes incomodará ou não os outros, e assim reações serão provocadas a sua vontade ou contra acontecerão, e diante disso o que você fará?
E quanto ao nosso aprendizado, o qual nos fará caminhar na estrada da evolução, essa não é nossa jornada natural? Pois para que essa caminhada seja eficaz, precisamos enfrentar toda e qualquer situação para que, independente do resultado, sejamos agraciados com o aprendizado e diante disso você terá que estar preparado para aceitá-lo e agradecer pelo mesmo.


“Enfim friozinho, ou calor, céu azul ou cinzento, você aproveite para estar ciente que será um dia cheio de aprendizado.”

MARIO BASTOS

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Linkedin
Please reload

Destaques
Posts Em Destaque

CUIDADO PARA QUANDO A FICHA CAIR..

09/11/2019

1/6
Please reload

Artigos Recentes

19/10/2019

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Twitter Basic Square