© Mario Bastos - Desenvolvido por Infoqplan Assessoria Digital

Avenida Rudolf Dafferner, 400 - Praça Maior - Boa Vista - Sorocaba/SP

Os enviados de Deus

18/03/2015

Depois de mais um dia de vitórias e experiências adquiridas em nossas vidas, voltamos para casa simplesmente para descansar e refletir sobre aquele dia vivido.
De repente seu filho vem, lhe dá um beijo e diz: “Boa noite papai”, pede ainda para você esperar um pouco ali na sala, pois ele tem que lhe entregar algo, você assim o faz, e ele retorna para a sala com um papel na mão, fala que é um presente para você, neste momento você estende sua mão, sorri e agradece, e ele pede para você ler o que está escrito naquele momento.
Assim meio despretensiosamente você começa a ler aquele papel grafado com letras infantis, que diz o seguinte: “Vento, ventão, ventania, ventinho passou numa grande ventania, passou lá na floresta num dia de festa. Logo foi chegando fazendo um barulhão, levantando mesa e” tualha “, levantando tudo to chão....”, e ele através deste texto vai discorrendo o seu raciocínio, ao final com um desenho no canto direito inferior do papel, ele desenha um vento onde o complementa com a seguinte frase: “Eu sou o ventinho, e você?”
As lágrimas começam a encher nossos olhos de emoção, nosso coração passa a pulsar mais forte e nossa alma a vibrar com grande intensidade, pois aquela criança de oito anos lhe forneceu uma grande lição de vida, totalmente gratuita, em troca apenas de um sorriso e uns beijos.
Aquele o qual anteriormente foi lido, existia uma mensagem maravilhosa, onde o vento, o “ventão” e a ventania representavam a mudança, aquela que jogava tudo para o ar, e lhe dava a oportunidade de você rever seus conceitos formatados há anos dentro de você fazendo com que houvesse a possibilidade. Houvesse a possibilidade de você mudar a sua vida.
E quanto à pergunta: “Eu sou o ventinho e você quem é?”, muito bem essa foi uma questão que tiraria o sono de qualquer ser humano, pois neste momento a sua identidade está sendo questionada, o espaço que você ocupa aqui na terra também. Toda essa oportunidade de refletir sobre minha vida, foi gerada pelo meu filho de oito anos de idade.
Realmente de onde menos esperamos vem as respostas que precisamos para dar prosseguimento na nossa vida, por este motivo é que denominamos nossos filhos como os enviados de Deus, para nos ensinar, nos orientar e principalmente para mais uma vez acreditarmos, que através de gestos doces e carinhosos, podemos mudar o rumo de nossas vidas.



"Os filhos são as nossas oportunidades de chegar a
felicidade mais cedo do que esperamos"

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Linkedin
Please reload

Destaques
Posts Em Destaque

TELA AZUL

15/11/2019

1/6
Please reload

Artigos Recentes

15/11/2019

19/10/2019

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Twitter Basic Square